NOVA VACINA INFLUENZA: PROTEÇÃO
AMPLIADA CONTRA GRIPE!

Nova Vacina Influenza: Proteção Ampliada Contra Gripe!
Até 2014 as vacinas influenzas disponíveis no Brasil eram trivalentes inativadas, compostas das cepas A/H1N1, A/H3N2 e 1 cepa B (cepa Yamagata ou cepa Victoria).

Estudos demonstraram que nos últimos anos foi observadoaumento das duas cepas tipo B circulantes na mesma temporada. Desta forma, a partir de 2015, serão disponibilizadas as vacinas quadrivalentes inativadas, cuja novidade é de serem compostas, além das cepas A/H1N1 e A/H3N2, das duas cepas tipo B : Victoria e Yamagata. No Brasil, existem 2 vacinas quadrivalentes licenciadas PROTEJA-SE CONTRA AS pela ANVISA: a vacina quadrivalente do laboratório DOENÇAS MENINGOCÓCICAS! GlaxoSmithKline, aplicada em adultos e crianças a partir de 3 anos de idade; e a vacina quadrivalente do laboratório Sanofi-Pasteur, nas formulações pediátrica (a partir de 6 meses até 3 anos) e adulto (a partir de 3 anos). Quando comparadas, não foram observadas diferenças na resposta imune ou na reatogenicidade.

Neste primeiro ano as vacinas quadrivalentes só estarão disponíveis em clínicas privadas de imunizações, não sendo encontradas na rede pública. A partir de 2015, a CLIAP disponibilizará apenas a vacina quadrivalente.

Algumas considerações:

* Os estudos relacionados às vacinas quadrivalentes não demonstraram maior incidência de efeitos adversos quando comparados às vacinas trivalentes.

* Crianças que no primeiro ano de vacinação receberam 2 doses da vacina trivalente não precisarão receber 2 doses da vacina quadrivalente no ano seguinte.

* O intervalo mínimo entre as doses deve ser de 3 semanas.

A aplicação é via intra-muscular e apenas em casos excepcionais e, conforme indicação médica, poderá ser aplicada via subcutânea.

* As vacinas quadrivalentes contra influenza podem ser aplicadas simultaneamente com as demais vacinas do calendário vacinal infantil.

* A vacina quadrivalente contra influenza também é do tipo inativada, podendo ser aplicada em pacientes imunodeprimidos.

* A vacina influenza quadrivalente é contra-indicada apenas aos pacientes com antecedente de reação de hipersensibilidade anafilática ao ovo.

* As gestantes podem receber a vacina quadrivalente, sendo grupo prioritário para vacinação pelo maior risco de desenvolver complicações relacionadas à síndrome gripal e pela transferência de anticorpos e proteção ao bebê nos primeiros meses de vida.

 

Len Comunicação